"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41)

Montaudon Reserve Première Brut

Tipo: Branco
Nível: Espumante
Classe: Brut
País: França
Estilo: NV
Método: champenoise
Graduação alcoólica: 12%
Preço: U$ 20 a 31; £ 15,25; € 21; R$ 99 a 160 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA, Europa e BR).
Uvas/Corte: 25% Chardonnay, 45% Pinot Noir, 10% Pinot Meunier, 20% de vinhos reserva
Produtor: Montaudon
Região: Reims  
Score: 89 pontos ST; 3 estrelas Decanter; 84 pontos WS
Prêmios:
1- Japan Wine Challenge 2009: Champagne Montaudon Reserve Premiere: Silver Medal at the Japan Wine Challenge 2009
 Onde comprar:
1. Wine.com.br      
Degustado em: 24/12/2010
Harmonização: Como aperitivo o Champagne vai bem com quase tudo, mas as melhores harmonizações são as ostras, o caviar, o salmão defumado. Camarão a provençal, lagosta ao curry, frutos do mar marinado são a companhia perfeita.
Comentários
O vinho base é composto por um blend equilibradíssimo composto de 25% Chardonnay, 45% Pinot Noir, 10% Pinot Meunier, além de 20% de vinhos reservas, de grandes anos envelhecidos em carvalho francês por mais de dois anos.  
Serviço: 7 a 9º C
Sugestão de Guarda: Beber/guarda  ±2 a 3 anos
Meus comentários:
O principal dono da Montaudon hoje é o conglomerado LVMH (Louis Vuitton Moët Henessi) que tem como acionista maior, o grupo Cristian Dior. Comandam também outras marcas famosas de bebidas: Moët et Chandon Wines and Spirits; Dom Pérignon Wines and Spirits ; Krug Wines and Spirits; Veuve Clicquot Wines and Spirits; Mercier Wines and Spirits ; Château d'Yquem Wines and Spirits; Hennessy Wines and Spirits ; Glenmorangie Wines and Spirits ; Ardbeg Wines and Spirits; Belvedere Vodka Wines and Spirits; Domaine Chandon California Wines and Spirits
Este champagne tem coloração amarelo palha, perlage abundante e persistente, aroma floral principalmente, com notas leves de frutas brancas frescas (pera) e torradas. No palato mostra toda frescura (acidez) e força deste champagne, sabor de peras e limão siciliano, pouca cremosidade e refrescante persistência.
Avaliação: Bom

DICAS ESPUMANTES NATAL/ANO NOVO


As comemorações de fim de ano pedem um brinde com espumante. O difícil, entre tantas opções, é fazer a escolha certa. Seja champagne, cava, ou prosecco, há bebidas interessantes com preços atrativos.
Aqui estão algumas dicas que já degustamos:

 

1- Valduga 130 – R$ 50 a 60
Coloração amarelo-dourado, perlage fina e persistente. Aromas cítricos com leve fermentado, acidez equilibrada, sabor de frutas tropicais, cremoso e com boa persistência. Sugestão de Harmonização: avelãs, camarão, truta, mariscos, canapés finos, massas, carnes brancas em geral.




 
2- Miolo Milésime R$ 60 a 70
Considerado um espumante Premium com envelhecimento mínimo de 18 meses sobre leveduras em caves subterrâneas e climatizadas, com a consultoria do enólogo francês Michel Rolland, que lhe conferiu complexidade. Coloração amarelo palha com tons esverdeados, aromático, perlage fina e persistente, notas de fermento de pão e mel, boa acidez, frutado (abacaxi, pêra, maçã verde) e untuoso na boca. Sugestão de Harmonização: foie gras, aves assadas, pratos agridoces, cordeiro, salmão, presunto Parma, como aperitivo




3- Salton Poética  R$ 25 a 28
Possui cor rosé cereja, brilhante, com perlage fino e abundante com boa formação de espuma. Aromas de flores cítricas e frutos do bosque como: cassis, framboesa, morango e mirtilo. Paladar fresco, macio e cremoso, com boa permanência de sabor de boca, um espumante versátil, bom para ser servido como aperitivo, acompanha canapés, frutos do mar, peixes (salmão, congrio e linguado) e outros pratos de sabor leve e delicado





4- Paul Bur Brut e Rose R$ 49 a 63  (boa relação custo/benefício)
Opinião dos Especialistas: Valor Econômico: "Recomendado 2007" / "Melhores do Ano de 2007" / "Melhor relação qualidade/preço" 2008

 



Brut - Amarelo palha com tons esverdeados, límpido, perlage fina e persistente, aroma frutado, notas florais, acidez e frescor agradável, um espumante fácil de beber.  Sugestão de harmonização: como aperitivo, canapés.

 


Rose - Coloração rosada, aroma frutado (frutas vermelhas), perlage fina e persistente, boa acidez, sabor morango, agradável na boca. Sugestão de Harmonização: Polvo, paellas e ostras






5- Cava Cristalino  R$ 28 a 50 (boa relação custo/benefício)




Coloração amarelo brilhante, tons dourado, aroma de notas florais, cítricos e fermento. Perlage fina e persistente, na boca notas de pêssego, maçã e cítricos, bem proporcionado, com corpo e equilibrada acidez. Realmente faz jus a sua fama. Sugestão de Harmonização: frutos do mar, carnes brancas massas e aperitivos





VINHO PARA CELEBRAR

Antes consumido apenas em ocasiões festivas os espumantes estão cada vez mais presentes nos nossos encontros festivos , com amigos, jantares, almoços e como aperitivo, na beira da piscina e até na praia. Por isso vamos falar sobre os mais conhecidos ao redor do mundo.

Vamos começar pelo mais famoso, o CHAMPAGNE, só pode ter esse nome os produzidos na França na região que leva o mesmo nome, além disso somente pode ser produzido pelo método tradicional (champenoise) e a partir das uvas tintas Pinot Noir, Pinot Meunier e da branca Chardonnay.
Outro que vem da França é o CRÉMANT, espumante produzido nas regiões de Borgonha, Limoux e Loire, entre outras, respeitando as especificações de cada uma das AOCs (Appellation d’Origene Contrôlée), feito também pelo método tradicional.
PROSECCO, só recebe esse nome os espumantes produzidos nas cidades de Connegliano ou Valdobbiadene (Vêneto, Itália), elaborado pelo método Charmat e com as uvas da casta Prosecco.
ASTI, espumante meio doce (demi-sec) e com baixa graduação alcoólica (6 a 7%) elaborado com uvas Moscato na cidade de Asti, Itália.
FRANCIACORTA, produzido pelo método tradicional a partir de uvas Chardonnay e Pinot Blanc, com 15% de Pinot Noir, nas colinas de Brescia na Lombardia, Itália.
CAVA, espumante espanhol, na sua maioria produzido pelo método tradicional na região da Catalunha, com as uva Macabeo, Xarel-lo, Parellada e Chardonnay.
SEKT, espumante alemão, na grande maioria feitos pelo método charmat, podendo ser produzidos por uma variedade de uvas e até mesmo utilizando-se vinhos base vindos de fora da Alemanha, desde que o processo de segunda fermentação ocorra em território alemão.
ESPUMANTE, no Brasil, que vem se firmando cada vez mais, e mostrando uma aptidão do nosso terroir, ganhando vários prêmios nos concursos especializados, pode ser produzido pelo método tradicional e charmat, com diversas tipos de uvas, e boa qualidade.
A qualidade dos espumantes produzidos no Brasil já esta comprovada, inclusive é considerado o segundo melhor do mundo, em número de medalhas.

Footbolt D'Arenberg

Safra: 2007
País: Austrália
Região: McLaren Valle
Produtor: D’Arenberg Winery
Uvas/Corte: Shiraz 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Preço: U$ 14 a 20; R$ 80 a 99 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-BR)
Score: 91 ptos WE; 90 ptos RP; 90 ptos ST; 88 ptos WS
Onde comprar:
1. MAGAZZINO, Natal, RN,
2. Zahil 
Degustado em: 10/06/2010
Harmonização: bom para degustar com os amigos, carnes assadas e molhos encorpados.
Serviço: 18º
Comentários
A D’Arenberg é uma das mais tradicionais casas vinícolas da Austrália: foi fundada em 1912, por Joseph Osborn, diretor da renomada Thomas Hardy Co. e curiosamente um abstêmio. O cuidado com cada um dos vinhos é minucioso e eles consideram todos os seus vinhos como “feitos à mão”.
A fermentação dos tintos ocorre em tanques de concreto revestidos com cera e a dos brancos em tanques de aço inoxidável. Ainda durante a fermentação, a capa ou chapéu do mosto de alguns dos tintos (incluindo “The Footbolt Shiraz”) é revolvida através de pisa, o que pode ser identificado pelo selo impresso no rótulo com os dizeres “Foot Trod”.
Sugestão de Guarda: até 2012-2014.
Meus comentários:
As uvas Shiraz de “The Footbolt” são provenientes de algumas das videiras que foram adquiridas quase 100 anos atrás e o vinho sofre processamentos e estabilização mínimos para conservar ao máximo as características destas plantas. Antes de ter sido engarrafado, estagiou em barricas novas e velhas de carvalho por até 18 meses.
Coloração rubi intenso, com aromas frutados, especiarias e madeira, um vinho bem estruturado, frutado (ameixa, cerejas, framboesas maduras), macio com notas de chocolate.
Avaliação: Muito Bom

Les Salices

Safra: 2007
País: França
Região: Languedoc
Produtor: Jacques & Francois Lurton
Uvas/Corte: Pinot Noir 100%
Teor alcoólico: 14%
Preço: U$ 11-14; € 5-8, R$ 55-66 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-Europa-BR)
Score: Millésime 2005 : 86 Pts, Meilleure vente WE; Millésime 2004 : 2 étoiles et demi The New York Times; Millésime 2003 : 83 Pts WS
Onde comprar:
1. MAGAZZINO, Natal, RN, Rua Potengi, 576, (84) 3212-1477
Degustado em: 10/06/2010
Harmonização: aves em geral e carnes brancas.
Serviço: 14 a 16º
Comentário Produtor
Belle intensité où dominent les fruits rouges finement associés à de légères notes mentholées, florales et vanillées.
Bouche : Equilibre remarquable qui fait de ce vin une boisson délicieuse où se mêlent un fruité prononcé (mûres,…) et certaines pointes chocolatées.
(Belo intenso, onde predomina as frutas vermelhas, associadas a notas mentoladas, florais e baunilha. Boca – um vinho equilibrado, que o faz uma bebida deliciosa, onde as frutas vermelhas (amoras, morango) se mesclam com notas de chocolate).
Conservation : 2 - 4 ans
Température idéale : 14 - 15°c
Sugestão de Guarda: Está pronto, mas tem potencial de guarda (2010 a 2012).
Meus comentários:
Este Pinot Noir está entre os melhores e mais baratos pinots pela LCBO (Liquor Control Board of Ontario). É um Vins de Pays d’OC, do sul da França, região de colinas com dias ensolarados e noites frias. Apesar do sudeste francês não ser historicamente uma região de pinot, este surpreendeu, é um vinho fresco,equilibrado e agradável. Cor rubi, brilhante, aromas de morango e amoras, suculento, taninos suaves, notas sútis de madeira (passou em barril de carvalho), mantém uma certa doçura (14% álcool), um vinho que está pronto, mas que ainda pode melhorar. Observação: Screwcap, manteve basicamente os padrões do 2006.
Avaliação: Bom $$

Rutini Cabernet Malbec


Safra: 2006
País: Argentina
Região: Mendoza
Produtor: Rutini Wines, Bodega La Rural,
Site: http://www.rutiniwines.com/
Uvas/Corte: Cabernet Sauvignon 50% e Malbec 50%
Teor alcoólico: 13,5%
Preço: € 13,5 a 24; R$ 66-89 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Europa e Brasil)
Score: N/A
Onde Comprar:
1. Magazzino, Natal, RN, 3212-1477
2. Zahil
Degustado: 20/11/2010
Harmonização: carnes assadas, queijos condimentados, embutidos e defumados.
Serviço: 17º
Comentários
“La Rural”, fundada em 1886 por Don Felipe Rutini, imigrante italiano, que se estabeleceu em Coquimbito, plantando as primeiras videiras, Don Filipe Rutini faleceu em 1919 deixando a bodega a cargo de seus descendentes. Hoje uma S/A, a La Rural tem como seu principal acionista Nicolás Catena, proprietário da Bodegas Catena, reconhecida no mundo todo pela qualidade de seus vinhos e responsável pela vinda de Mariano di Paola, enólogo-chefe da casa desde 1995. A La Rural cultiva seus vinhedos em 4 propriedades na Província de Mendoza:
- Finca Maipú (10 ha. em Coquimbito, cultivados com Cabernet Sauvignon)
- Finca Tupungato (100 ha. cultivados com as tintas Malbec, Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Syrah, Pinot Noir e as brancas Chardonnay, Sauvignon Blanc e Gewusraminer)
- Finca Rivadavia (43 ha. no Distrito de Phillips, Rivadavia, a leste da cidade de Mendoza, com as brancas Chenin Blanc e Sauvignon Blanc)
- Finca La Consulta (30 ha. cultivados com Malbec, no Departamento de San Carlos)
Prêmios:
Sugestão de Guarda: beber/guardar ± 07 anos
Meus comentários:
Coloração rubi intenso, aroma frutado com notas de especiarias e madeira. No palato boa estrutura, taninos suaves, muita fruta (ameixa, cereja), notas de chocolate e especiarias, um vinho fácil e gostoso de beber.
Avaliação: bom

Espumante Nacional Premiado


Mais uma vez um espumante nacional ultrapassa as fronteiras, o espumante Premium Moscatel da Casa Valduga foi consagrado em paris no Salão Internacional de Alimentos e Bebidas, SIAL 2010, realizado entre os dias 17 e 21 de outubro. Ficou na seleta lista dos escolhidos como "Best Buy" (melhor compra), relação qualidade preço acessível. Das 148 amostras apenas 29 foram classificados como melhores compras. Os espumantes foram degustados às cegas por um júri de enólogos, sommeliers, compradores, importadores e jornalistas. Mais uma vez parabéns para o espumante nacional.
Límpido, brilhante, perlage fino e constante. Aroma típico da variedade Moscato, toques florais, mamão papaia e frutas tropicais, leve, boa acidez e agradável.
Harmoniza bem com canapés finos, massas com queijos e tomates, atum, merluza, lagosta, queijos Brie e Camembert, sobremesas

Trimbach Riesling


Safra: 2006
País: França
Região: Ribeauvillé, Alsacia
Produtor: F E Trimbach.
Site: http://www.maison-trimbach.com/gb/wines.html
Uvas/Corte: Riesling
Teor alcoólico: 13%
Preço: € 13, U$ 16-17, R$ 101 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Europa, EUA e Brasil)
Score: 95 PONTOS (2000) WE; 94 pontos (2000) WA; 91 pontos (2007) WS; 88 pontos (2002) WE; 87 pontos (1999) WS; 86 pontos (2000) WA; 14 pontos (2004) Revue du Vin; 3 estrelas (2003) Prazeres da Mesa;
Onde Comprar:
1. Magazino, Natal RN
2. Zahil
Degustado: 19/06/2010
Sugestão de Harmonização: sushis, peixe grelhados ou com molhos, pratos tradicionais da Alsacia (torta de cebola ou sauerkraut)
Serviço: 16º
Comentários
A uva ícone da região da Alsácia, é também a principal fonte de reconhecimento do trabalho dos Trimbach. O vinho é muito aromático, denso e untuoso, e com algum tempo de evolução pode mostrar muita complexidade. Um excelente exemplar da uva e do produtor, produzido em estilo clássico alsaciano, é um ícone internacional.
Prêmios:
Sugestão de Guarda: beber, guardar ± 05 anos
Meus comentários:
Foi Fréderic Émile Trimbach, antepassado de Pierre, quem, no final do século 19 levou a vinícola da família à fama internacional. A importância de seu trabalho é reconhecida até hoje no nome da vinícola - que carrega suas iniciais. Este Trimbach apresenta coloração amarelo límpido com halo dourado, aromas frutado com notas minerais e florais, na boca frutado lembrando pêssego branco, abacaxi e citrícos com boa estrutura e acidez
Avaliação: muito bom

Tokaji Aszú


O vinho que melhor representa a Hungria e os húngaros é, sem dúvida, o Tokaji Aszú - ou Tokay Aszu (França e Inglaterra), como frequentemente é conhecido fora das fronteiras daquele país. Tokaji significa procedente de Tokaj, região situada a 200 km a leste de Budapeste e Aszú significa bagos botritizados.
Esta região é o reflexo de uma tradição vinícola única, existente há pelo menos mil anos e que se manteve intacta até aos nossos dias e a sua paisagem cultural histórica faz parte do Património Mundial da UNESCO desde Junho de 2002, encontra-se situada a uma altitude entre 100 a 400 metros acima do nível do mar. O seu clima tipicamente continental é caracterizado por invernos extremamente frios e verões muito quentes. A generalidade das suas vinhas situam-se nas encostas dos montes Zemplen, junto aos rios Bodrog e Tisza. O tipo de solo é predominantemente de origem vulcânica com uma elevada percentagem de argila. A reunião de todos estes factores cria condições propícias ao desenvolvimento de Botrytis cinerea, favorecido pela já referida proximidade dos rios e consequente humidade.
O Tokaji é lendário e foi o primeiro vinho de que se tem notícia feito com uvas atacadas pela “podridão nobre” – a mesma do vinho francês Sauternes.
Durante séculos, esse vinho tem sido considerado um dos melhores do mundo. Sua fama se estende através da história: Luiz XIV, uma vez, declarou que o Tokaji era “vinum regum, rex vinorum”, isto é, “o vinho dos reis e o rei dos vinhos
Como muitas vezes acontece, algumas descobertas notáveis são o resultado de erros acidentais e parece que o Tokaji Aszú não foi uma exceção à regra.
Em meados do século XVII, o padre Szepsi Laczkó começou a conduzir uma investigação experimental com a uva nativa húngara, chamada Furmint. Decidiu fazer testes com a secagem das uvas na vinha e - infeliz ou felizmente - isso aconteceu durante um período de invasão turca no território. Os húngaros foram forçados a pegar em armas, esquecendo suas atividades diárias, incluindo a colheita das uvas. Em seu retorno, no final do outono, as uvas estavam completamente secas e com bolor.
Szepsi Laczkó resolveu colhê-las mesmo assim e preparou um vinho com aquela mistura de uvas secas e mofadas. Para sua surpresa, o vinho resultante tinha um sabor marcante e um aroma muito rico. O sacerdote, então, adicionou a esse néctar, um pouco do vinho normal, produzido no ano anterior, dando assim origem ao Tokaji Aszú. Essa formula é utilizada praticamente até os dias de hoje, com alguns incrementos.
As principais castas utilizadas nesta região, nomeadamente para a elaboração do Tokaji, são fundamentalmente as Furmint (casta com um elevado potencial aromático), Hárslevelü (que proporciona a formação de um elegante bouquet nos vinhos obtidos) e Muscat.
As caves do vinho Tokaji são cavadas nas rochas das montanhas vulcânicas da região, formando labirintos que chegam a ultrapassar os 30 quilómetros. Estas caves mantém de forma natural níveis constantes de temperatura e humidade, criando condições ideais para armazenar e envelhecer os vinhos da região.

Tipos de vinhos de Tokaj:

* Vinhos secos: Apelidados em tempos ordinarium (vinho comum) hoje em dia passaram a indicar o nome das respectivas castas: Tokaji Furmint, Tokaji Hárslevelû e Tokaji Sárgamuskotály.
* Vinhos de Vindimas Tardias: Nesta categoria encontram-se vinhos provenientes de uvas parcialmente botrytizadas, com maior ou menor quantidade de açúcar residual.
* Tokaji Szamorodni: Esta palavra de origem polaca significa: "como nasceu" ou "como isso cresce". O Szamorodni é elaborado a partir de uvas parcialmente botritizadas sem selecção dos bagos botritizados (aszú). Usado como aperitivo pode ser seco ou doce dependendo da proporção de uvas botritizadas.
* Tokaji Aszú: São os vinhos mais conhecidos da região. Provêm da adição ao vinho de base de uvas com elevado grau de podridão (também designada por podridão nobre), como resultado da presença do fungo Botrytis cinerea, dando origem à formação de uma massa pastosa. A produção dos diferentes tipos de Tokaji Aszú será determinada pela quantidade de polpa - composta de uvas botritizadas - adicionada a cada barril de 136 litros de vinho base. A polpa inserida é medida em puttonyos - baldes de 20 kg – e o vinho resultante poderá ter de 3 (os menos doces) a 6 puttonyos (os mais doces). Tokaji Aszú deve, por lei, amadurecer pelo menos, dois anos em barris de carvalho e um ano em garrafa antes de ser colocado à venda.
* Tokaji Eszencia: Uma raridade absoluta, o sumo gota-a-gota dos bagos de aszú. A Eszencia é um néctar com uma concentração de açúcar comparável à do mel.

Trivento Brut Nature


Tipo: Rose
Nível: Espumante
Classe: Brut
País: Argentina
Estilo: NV
Método: charmat
Graduação alcoólica: 12,4%
Preço: £ 8,95, U$ 10-16; € 4; R$ 42-60 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-UK-BR).
Uvas/Corte: 50% de Pinot Noir e 50% de Chardonnay.
Produtor:
Região: Tupungato, Mendoza
Site: http://trivento.com/sitio/triventoportugues.htm
Score: N/A
Onde comprar:
1. Wine.com
Degustado em: 20/04/2010
Harmonização: Aperitivo, salgados, lanches, aves e peixes em molhos cítricos, salmão defumado.
Comentário Produtor
Aromas de durazno seco, pan tostado e algo de leveduras. Entrada Dulce, untuosa y estructurada. Equilibrado encuanto a su acidez, de buena persistência.
Prêmios: 1. Decanter World Wine Awards 2008 – Trivento Brut Nature NV, Bronze
2. London International Wine&Spirit Fair 2009, Trivento Brut Nature NV, Recomendado
Serviço: 6 a 8º C
Sugestão de Guarda: ± 04 anos
Meus comentários:
Cor levemente rosada, límpido, perlage fina e persistente, aromas lembram cerejas, maçãs e pão tostado, na boca agradável sensação de acidez (maça), untuoso e elegante.
Avaliação: Bom

Miolo Cuvee Tradition Rose


Tipo: Rose
Nível: Espumante
Classe: Brut
País: Brasil
Estilo:
Método: champenoise
Graduação alcoólica: 12,5%
Preço: R$ 25-40 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos BR),
Uvas/Corte: Chardonnay e Pinot Noir
Produtor: Miolo
Região: Vale dos vinhedos Bento Gonçalves
Site: http://www.miolo.com.br/site/PT/content/home/
Score: N/A
Onde Comprar:
1. Nordestão, Natal, RN
2. Miolo
Degustado em: 20/04/2010
Sugestão Harmonização: como aperitivo, frutos do mar, peixes, massas
Comentário Produtor
Este espumante Brut Rosé com variedades Chardonnay e Pinot Noir, cultivadas no Vale dos Vinhedos em Bento Gonçalves é elaborado pelo Método Tradicional Champenoise, mesmo método utilizado na região de Champagne na França. Com fermentação na própria garrafa, permanece aproximadamente 6 meses envelhecendo nas caves subterrâneas da Miolo
Serviço: 6 a 8º C
Sugestão de Guarda: beber, guardar ± 02 anos
Prêmios:
Meus comentários:
Desde que degustei este espumante, tornei-me fã, pelo sabor agradável e o bom custo benefício.
Coloração rósea, límpido, perlage fina e persistente com ligeira coroa de espuma, aroma frutado (morango, groselha e cereja) com notas florais, no palato boa cremosidade, as mesmas frutas vermelhas, mas se sobrepondo a cereja, boa acidez, frescor agradável com bom final de boca,
Avaliação: Bom $$

Marques de Montmor Tinto


Safra: 2007
País: Portugal
Região: Alentejano
Produtor: Plansel/Viveiros Jorge Böhm, Lda.
Site: http://www.plansel.com/
Uvas/Corte: Trincadeira, Aragonêz e Touriga Nacional
Teor alcoólico: 13%
Preço: € 5,50-7,50, R$ 30-40 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Portugal, Brasil)
Score: N/A
Onde Comprar:
1. Vinhedos, Natal RN
2. Decanter
Degustado: 24/05/2010
Sugestão de Harmonização: Aves assadas, Lombo de porco, Coelho assado.
Serviço: 16º
Comentários
Vinho de cor granada, com notas aromáticas que evidenciam a sua juventude. Mostra aromas de frutos negros, amora e alguma especiaria, num conjunto elegante e complexo com uma agradável persistência. Macio na boca, ligeiro acídulo a despertar novamente notas de fruta. Adstringência ligeira num vinho estruturado e equilibrado, que termina de forma harmoniosa.
Prêmios:
Sugestão de Guarda: beber, guardar ± 03 anos
Meus comentários:
Assessorada por Paulo Laureano, uma das principais autoridades do vinho em Portugal, a enóloga Dorina Lindemann (filha de Jorge Böhm) assina a produção de vinhos da Plansel, um pequeno produtor do Alentejo
Este vinho tem coloração vermelha-púrpura intensa, brilhante, aroma frutado, notas discretas de especiarias, na boca é macio, com boa acidez, corpo e taninos médios, frutas maduras (ameixa, passas) com boa estrutura,
Avaliação: bom

Las Perdices


Safra: 2007
País: Argentina
Região: Agrelo-Lujan de Cuyo (Mendoza)
Produtor: Las Perdices
Site: http://www.lasperdices.com/
Uvas/Corte: 100% Malbec
Teor alcoólico: 14%
Preço: U$ 13 a 16; R$ 51 a 60 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos EUA e Brasil)
Score: 87 pontos (2005) ST; 85 pontos (2004) WS
Onde Comprar:
1. Wine.com
Degustado: 24/05/2010
Sugestão de Harmonização: Carnes vermelhas, pescados, carnes brancas com molhos e especiarias
Serviço: 16 a18º
Comentários
Color rojo violáceo intenso. De complejos aromas a frutas rojas, con delicados toques de madera. Suave en boca, equilibrado, con notas de ciruelas y guindas. Ideal para acompañar carnes rojas, pastas o pescados y carnes blancas con salsas especiadas
Prêmios:
Tornou-se mais evidente pelo desempenho dos seus tintos em concursos como o Vinandino, o Argentina Wine Awards ou o Top Ten da feira Expovinis-São Paulo.
Sugestão de Guarda: beber/guarda ± 3 a 5 anos
Meus comentários:
A Viña Las Perdices, recebeu este nome em homenagem as perdizes que seguiam o andaluz Don Juan Muñoz López, fundador da vinícola. Situa-se aos pés da Cordilheira dos Andes, na região de Mendoza, mais precisamente em Agrelo Luján de Cuyo, primeira zona de Denominação de Origem Controlada.
Possui coloração rubi intenso com tons violáceos. Aromas de frutas negras maduras, com um toque de madeira. Equilibrado, taninos suave na boca, com notas de ameixa, café e chocolate.
Avaliação: bom $$

Serviço do Champagne


O serviço correto dos espumantes exige cuidados especiais para que não se perca seus atributos. As taças muito bem lavadas, não podem conter qualquer resíduo de detergente, tecido ou papel.
Deve-se comprar o espumante com boa antecedência para que ele descanse em sua casa algus dias antes de ser servido. Outro aspecto é a temperatura, que é fundamental para a apreciação. Dependendo das variações decorrentes do tipo e estilo do espumante, na média, a temperatura de consumo deve estar próxima aos 8ºC. No caso dos demi-sec ou dos moscatéis mais doces, a temperatura de consumo pode ser de 6ºC. Mas os espumantes mais velhos, mais vinosos, bem como o millésime, revelam-se mais plenamente nas temperaturas mais altas entre 10ºC e 12ºC. Para baixar a temperatura recomenda-se deixar o espumante na geladeira, de um dia para o outro, garantindo um temperatura ± 5ºC, que após ser servido, vai evoluir para ± 8ºC. Outra forma é deixar a garrafa em um balde de gelo com água por aproximadamente 45 minutos. Os cálices mais apropriados para apreciar os espumantes têm a forma chamada flûte, uma tulipa mais alongada. Para servir, obedecer à técnica de dois estágios: 1- serve-se um fundo de aproximadamente 1 centímetro para esfriar a taça e, 2- após alguns segundos, completa-se a dose preenchendo dois terços do volume. Mantenha o cálice inclinado e vá derramando cuidadosamente o espumante na lateral. Quando se coloca de uma só vez corre-se o risco de uma formação forte de espuma que acaba se derramando. Um estudo (cientistas franceses) revela que o espumante conserva as bolhas por mais tempo quando servido dessa maneira, ver comentário no Enoeventos (link abaixo).
http://www.enoeventos.com.br/201003/champagne/champagne.htm

Aurora Brut


Safra: NS
País: Brasil
Região: Serra Gaúcha – Bento Gonçalves, RS
Produtor: Vinícola Aurora
Site: http://www.vinicolaaurora.com.br/
Uvas/Corte: 100% Chardonnay
Teor alcoólico: 12%
Preço: R$ 35 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos do Brasil)
Score: NA
Onde Comprar:
1. Supermercado Nordestâo, Natal, RN
Degustado: 13/03/2010
Sugestão de Harmonização: como aperitivo, peixes e frutos do mar, massas e risotos, queijos, carnes branca assadas ou grelhadas.
Serviço: 8º a 10º
Comentários do produtor
O Aurora Espumante Brut é elaborado exclusivamente com uvas Chardonnay, pelo método Charmat longo (ou seja, um período prolongado de contato com as leveduras) com passagem por carvalho francês. Revela excelente estrutura e complexidade.
Prêmios:
Medalha de Prata (2009): Effevercents du Monde
Sugestão de Guarda: beber
Meus comentários:
Elaborado pelo método Charmat, apresenta uma coloração amarelo-palha, aroma floral e citricos, com boa acidez, notas de frutas citricas e leve tostado.
Avaliação: Bom

Miolo Seleção Branco


Safra: 2009
País: Brasil
Região: Vale dos Vinhedos, RS
Produtor: Miolo
Site: http://www.miolo.com.br;
Uvas/Corte: Chardonnay e Riesling
Teor alcoólico: 12%
Preço: R$ 16-25 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Inglaterrra e Brasil)
Score: NA
Onde Comprar:
Sam’s Club (Wall-Mart)
Degustado: 13/03/2010
Sugestão de Harmonização: como aperitivo, frutos do mar, risotos (frango, camarão legumes), massas com molhos leves.
Serviço: 8º a 10º
Comentários do produtor
Vinho branco seco, macio e redondo, elaborado através do corte das uvas Chardonnay e Riesling, apresenta seu corte e safra no rótulo principal
Prêmios:
Medalha de Prata (safra 2004): Hyatt Wine Awards, São Paulo/Brasil
Medalha de Prata (safra 2004): II Concurso Internacional de Vinhos do Brasil, Bento Gonçalves/Brasil
Medalha de Ouro (safra 2001): Hyatt Wine Awards, São Paulo/Brasil
Medalha de Prata (safra 1997): ÜRGUP '97, Capadócia/Turquia
Sugestão de Guarda: beber
Meus comentários:
Apresenta uma coloração amarelo-esverdeado, aroma leve floral e citricos, com acidez média, mas agradável.
Avaliação: vinho médio

Antiguas Reservas


Safra: 2006
País: Chile
Região: Valle de Maipo
Produtor: Cousiño-Macul
Site: http://www.cousinomacul.cl/nae_21.html
Uvas/Corte: 100% Cabernet Sauvignon
Teor alcoólico: 14%
Preço: €9 a 13, U$ 15 a 17; R$ 40-44(preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos da Europa, EUA e Brasil)
Score: 90 pontos WA (Jay Miller); 90 pontos W&S; 89 pontos (2005) Descorchados; 89 pontos (2001) WE; 88 pontos ST; 85 pontos WS; 86 pontos (2004) WE;
Onde Comprar:
1. Sam’s Club (Wall-Mart)
2. Terroir
3. Adega Curitibana
Degustado: 26/02/2010
Sugestão de Harmonização: Carnes grelhadas ou assadas,aves de caça, costeletas de porco e condeiro.
Serviço: 18º
Comentários
A safra 2006 representa o 79ª ano em que Cousiño-Macul elaborou um Antiguas Reservas. Desde que estreou em 1927, Antiguas Reservas sempre foi uma seleção limitada dos melhores Cabernet Sauvignon da vínicola Cousiño-Macul. Ao longo dos anos, a Cousiño-Macul tem mantido seu estilo clássico (100% Cabernet Sauvignon) combinando o amadurecimento do Novo Mundo e a elegância e delicadeza do Velho Mundo, dando-lhe estrutura para que possa envelhecer bem
Prêmios:
Sugestão de Guarda: beber/guarda ± 10 anos
Meus comentários:
A Cousiño Macul foi fundada em 1856 e é a única empresa que permaneceu sob o controle original da família do fundador (Matias Cousiño). Fica na região de Macul, que na quéchua significa “mão direita”. Envelhecido por 12 meses em barris de carvalho francês e mais 06 meses na garrafa antes de ser liberado para venda. Coloração rubi brilhante, aromas de frutas negras, tabaco e especiarias. Corpo médio com sabor frutado, taninos suaves com boa persistência
Avaliação: muito bom $$

Vertice Super Reserva Bruto


Tipo: Branco
Nível: Espumante
Classe: Brut ou Bruto
País: Portugal
Estilo: 2005
Método: champenoise
Graduação alcoólica: 12%
Preço: U$ 16-21; € 12 a 16; R$ 78 a 120 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-Europa-BR).
Uvas/Corte: Gouveio, Malvasia Fina e Touriga Franca, com pequenas quantidades de Rabigato, Viosinho e Codega
Produtor: Vértice (Caves Transmontanas)
Região: Douro
Site: http://www.cavestransmontanas.pt/ (em construção)
Score: 89 pontos WA (Mark Squires); 84 pontos (2000) WS; 17 pontos Revista de Vinhos (Portuguesa); 15,5 pontos (2000) pela Blue Wine (revista especializada portuguesa)
Onde comprar:
1. Wine.com
Degustado em: 26/02/2010
Harmonização: Como aperitivo ou para acompanhar pratos de peixe e marisco, com foie gras e patês.
Comentários
O Vértice Super Reserva é um vinho Espumante de qualidade superior elaborado segundo o Método Clássico a partir de uma rigorosa selecção de castas ( Gouveio Malvásia Fina Rabigato Viosinho Touriga Franca e Códega) cultivadas num solo de eleição único no mundo: as encostas elevadas do Douro. É um espumante exclusivamente produzido em anos de vindima excepcional beneficiando de um estágio adicional que lhe proporciona o desenvolvimento de aromas e sabores complexos e muito delicados.
Serviço: 8 a 9º C
Sugestão de Guarda: ± 10 anos
Meus comentários:
A aliança da Schramsberg Vineyards & Cellars da Napa Valley, Califórnia, com as Caves Riba Tua e Pinhão no Alto Douro, originaram a fundação das Caves Transmontanas em 1988. Nesta joint-venture, está o desenvolvimento da marca "Vértice" Espumante, que se apresenta como um novo padrão no mundo dos Espumantes de qualidade.
O Vértice Super Reserva Bruto é produzido a partir de vinhas da Região do Alto Douro, estagiando ± 36 meses na garrafa para 2ª fermentação. Espumante bem estruturado apresenta uma coloração dourada, perlage fina e persistente, no nariz notas citricas, frutos secos e fermento. Textura cremosa, frescor acentuado na boca com notas de frutos secos e amêndoas levando a um final de boca delicado e persistente.
Avaliação: Muito Bom

Cava Cristalino Brut Rose


Tipo: Rose
Nível: Espumante
Classe: Brut
País: Espanha
Método: champenoise
Graduação alcoólica: 11.50%
Preço: U$ 8-11; € 4; R$ 35-50 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-UK-BR).
Uvas/Corte: 60% Pinot Noir 40% Trepat
Produtor: Família J. Garcia Carrion (Jaume Serra)
Região: Penedés - Barcelona
Site: http://www.donsimon.com/
Score:, 88 pontos WA (Jay Miller colaborador de Robert Parker), 86 pontos WE; 84 pontos WS.
Onde comprar:
1. Tequila Bebida, Natal, RN
2. Wine.com
3. Adega Curitibana
Degustado em: 26/02/2010
Sugestão de Harmonização: Rosé extremamente gastronômico, bom para acompanhar aperitivos a base de patês e queijos, pratos frios e quentes com carnes brancas, peixes e grelhados.
Comentários
As Cavas Cristalino são umas das mais premiadas em todo o mundo. Acumulam menções de “best buy” pelo The New York Times e pela Wine Enthusiast, e indicação de “extraordinário espumante pelo preço” pela Wine Cellar. Entre as altas pontuações recebidas, destaque para os 91 pontos obtidos pela Cava Cristalino Brut na Wine Spectator onde também foi eleita como “best bubbles on the budget”.
Espumante rosado, rico em borbulhas, de aroma frutado discreto e mineral. Em boca é cremosos, de corpo médio, seco e refrescante
Serviço: 8 a 10º C
Sugestão de Guarda: 02 anos
Meus comentários:
Na região da Cataluña, a família J. Garcia Carrion é proprietária da bodega “Jaume Serra”, situada no alto de uma colina que desce suavemente até o Mediterráneo na localidade barcelonesa de Villanova e Geltrú. Suas origens se remontam a 1647, ano em que foi construído um lugar chamado El Padruell. Por isso também conhecida como Finca Padruell. A bodega atual está rodeada por uma finca de 125 hectares de vinhedos, com uvas das variedades: Cabernet Sauvignon, Merlot, Tempranillo e Chardonnay. “Jaume Serra”’ elabora na D.O. Penedès os vinhos: Jaume Serra Varietales, Jaume Serra e Jaume Serra Cosecha, e na D.O. Cava: J.S. Brut Nature Vintage, J.S. Brut Nature Reserva, Cristalino Brut Reserva e Cristalino Rose Brut. Por último, Viña del Mar é o nome do vinho que elabora pertencente a D.O. Catalunya. A Cava Cristalino é uma das mais premiadas em todo o mundo.
Coloração rosada, aroma de notas florais, cítricos e fermento. Perlage fina e persistente, na boca notas de frutas vermelhas, com corpo e equilibrada acidez..
Avaliação: Bom

Vertice Rose


Tipo: Rose
Nível: Espumante
Classe: Brut
País: Portugal
Método: champenoise
Graduação alcoólica: 12%
Preço: U$ 10-16; € 5 a 10; R$ 72 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-UK-BR).
Uvas/Corte: 10% Gouveio, 10% Tinta Barroca, 75% Touriga Franca
Produtor: Vértice
Região: Douro
Site: http://www.cavestransmontanas.pt/ (em construção)
Score: 87 pontos WA (Mark Squires);
Onde comprar:
1. Wine.com
Degustado em: 14/02/2010
Harmonização: Especial como aperitivo ou para acompanhar frutos do mar, ou pratos marinados.
Comentários
Grande espumante portugues, ao estilo de Champagne. Aroma intenso a frutos maduros, notas florais e de torrefação. Em boca é cremoso, encorpado, intenso e refrescante.
Serviço: 8 a 10º C
Sugestão de Guarda: até 5 anos
Meus comentários:
A aliança da Schramsberg Vineyards & Cellars da Napa Valley, Califórnia, com as Caves Riba Tua e Pinhão no Alto Douro, originaram a fundação das Caves Transmontanas em 1988. Nesta joint-venture, está o desenvolvimento da marca "Vértice" Espumante, que se apresenta como um novo padrão no mundo dos Espumantes de qualidade.
Este espumante estagiou 9 meses na garrafa para 2ª fermentação, apresenta coloração róseo, límpido, perlage fina e persistente acidez equilibrada, sabor de morango maduro com notas de cereja, cremoso com boa persistência.
Avaliação: Bom

Cave Geisse Nature


Tipo: Branco
Nível: Espumante
Classe: Brut
País: Brasil
Estilo:
Método: champenoise
Graduação alcoólica: 12,5%
Preço: U$ 10-16; € 4; R$ 42-49 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-UK-BR).
Uvas/Corte: 70% Chardonnay 30% Pinot Noir
Produtor: Sorevi
Região: Pinto Bandeira/ Serra Gaúcha
Site: http://amadeu.com.br/
Score: Top 100 (2005) e Top 200 (2008) Mar de Vinho (Marcelo Copello), Best Buy pela Revista Adega,
Onde comprar:
1. Costi Bebidas
2. Espumantes Web
3. Vinhos Net
Degustado em: 14/02/2010
Sugestão de Harmonização: Apropriado para todos os momentos. Bom como aperitivo e para acompanhar pratos feitos à base de peixe e carnes brancas.
Comentários
"Elaborado pelo método champenoise, o espumante Cave Geisse Nature é apropriado para todos os momentos. Por tratar-se de um espumante que não recebe adição de licor, acompanha muito bem qualquer refeição” Produtor.
“O espumante brasileiro Cave Geisse Nature, muito seco, continua sendo uma compra garantida”. Marcelo Copello.
Serviço: 6 a 8º C
Sugestão de Guarda: beber
Meus comentários:
Este espumante feito pelo método tradicional e ausência de licor de expedição (zero de açúcar), com envelhecimento mínimo de 2 anos na Cave da Vinícola, apresenta cor amarelo brinhante com tons esverdeados, perlage fina e intensa, aromas frutado, floral e fermento. Acidez equilibrada e agradável, notas cítricas e boa estrutura
Avaliação: Bom

Gentil Hugel


Safra: 2006
País: França
Região: Riquewihr, Alsace
Produtor: Hugel & Fils
Site: http://www.hugel.com/en/
Uvas/Corte: Gewürztraminer, Muscat, Pinot Gris, Riesling, Sylvaner
Teor alcoólico: 12%
Preço: €8 a 11, U$ 12; R$ 58-100 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Inglaterrra e Brasil)
Score: 86 pontos (2005) WA; 83 a 84 pontos (Best Buy) Revista Adega;
Onde Comprar:
1. Nordestão Natal, RN
2. World Wine
Degustado: 14/02/2010
Sugestão de Harmonização: Canapés, frutos do mar grelhados, pescados, peixes defumados e queijos.
Serviço: 12º
Comentários
This wine revives an ancient Alsace tradition that wines assembled from noble grape varieties were called "Gentil". Gentil "Hugel" allies the suave, spicy flavor of Gewurztraminer, the body of Pinot Gris, the finesse of Riesling, the grapiness of Muscat and the refreshing character of Sylvaner. (Este vinho reacende uma antiga tradição alsaciana onde os vinhos nobres reunidos a partir das variedades de uvas nobres foram chamados "Gentil". Gentil "Hugel" alia a suavidade e sabor de especiarias da Gewurztraminer, o corpo da Pinot Gris, a delicadeza da Riesling, o sabor da uva da Muscat e o frescor da Sylvaner).
Prêmios:
Sugestão de Guarda: beber/guardar ± 04 anos.
Meus comentários:
Amarelo dourado, aroma exótico com notas frutadas, florais e especiarias. Prazeroso de se beber, paladar expressivo, caracterizado por uma uma alquimia de sabores provenientes da mistura muito bem feita das uvas brancas típicas da região.
Avaliação: muito bom

Sunrise Shiraz


Safra: 2008
País: Chile
Região:
Produtor: Concha y Toro
Site: http://www.conchaytoro.com/; http://www.sunrise-wine.com/
Uvas/Corte: Shiraz 100%
Teor alcoólico: 13,5%
Preço: €9; R$ 20-30 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Europa e Brasil)
Score: N/A
Onde Comprar:
Sam’s Club (Wall-Mart)
Degustado: 13/02/2009
Sugestão de Harmonização: cordeiro, carnes, massas com com molhos encorpados.
Serviço: 16º a 20º
Comentários do produtor
El rojo es rojo em Shiraz Sunrise. Um vino fuerte pero delicado, que em La boca revela notas mora, pimienta y um ligero tostado. Este vino posee gran curerpo, pero AL mismo tiempo suave, armónico y bien balanceado. Su proceso de guarda se compone um 70% em estanques de acero inoxidable durante 5 emses y um 30% em barricas de roble americano de 2 a 3 años de edad durante 3 meses.
Prêmios:
Sugestão de Guarda: beber/guardar ± 3 anos
Meus comentários:
Tons violáceos intenso, frutado, amadeirado com notas de especiarias. um vinho para a diária
Avaliação: vinho médio

Michel Gonet Blanc de blancs Gran Cru


Tipo: Blanc de blancs
Nível: champagne
Classe: Brut
País: França
Estilo: NV
Método: champenoise
Graduação alcoólica: 12%
Preço: U$ 25-43; £25; R$ 166-330 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos USA-UK-BR).
Uvas/Corte: Chardonnay 100%
Produtor: Michel Gonet
Região: Cote de Blancs: Oger and le Mensnil sur oger (Champagne)
Site: http://www.gonet.fr/
Score: N/A
Onde comprar:
1. Vitis Vnifera
Degustado em: 06/02/2010
Sugestão de Harmonização: para aperitivo, coquetéis, lagostas e vieiras ao natural
Serviço: 7 a 9º C
Sugestão de Guarda:
Prêmios:
1. Um dos três melhores Champagne no Brasil: Revista Gula Fevereiro 2007
2. Medalha de Ouro: Concours Général de Mâcon 2001
3. Medalha de Ouro: Concours Général de Mâcon 2002
4. Medalha de Ouro: Concours International Vinexpo 2003
Meus comentários:
Os vinhos e champagnes do renomado grupo francês Michel Gonet et Fils chegaram ao Brasil em dezembro 2005.
A história da família com os vinhos, começou na Champagne aonde a Maison Gonet foi criada em 1802. Em 1973 Michel Gonet modernizou as instalações. As videiras são plantadas em 40 hectares ao redor de Avize, nas “Côtes de Blancs”, feudo dos mais prestígiosos “Grands Crus” de Champagne. O solo, exclusivamente calcário, confere qualidades excepcionais aos vinhos. A “Cote des Blancs” beneficia-se de um clima também excepcional: Protegida por morros dos ventos frios vindo do Norte, encostas expostas ao este e salva das chuvas do vale.
Esse clima perfeito casado com o solo excepcional permite aos champagnes Gonet de fazer parte do seleto grupo dos Grands Crus e de ter um reserve e um rosé reconhecidos pelas suas qualidades.
Este champagne é uma assemblage de uvas Chardonnay, originárias das melhores videiras da Côte des Blancs situadas em Oger e em Le Mesnil sur Oger. Amarelo dourado, límpido, perlage fina e persistente nariz lembrando frutas secas, pão e especiarias. Na boca, profundo, amplo, conduzindo à sabor de amêndoas, coco queimado e retrogosto frutado
Avaliação: muito bom

Adolfo Lona Brut


Tipo: Branco
Nível: Espumante
Classe: Brut
País: Brasil
Método: Charmat
Graduação alcoólica: 12%
Preço: R$ 29-35 (preço nas importadoras, restaurantes e lojas especializadas de vinhos do Brasil)
Uvas/Corte: Chardonnay e Pinot Noir.
Produtor: Adolfo Lona
Região: Garibaldi-RS
Site: www.adolfolona.com.br
Score: N/A
Onde comprar:
1. Magazzino, Natal, RN;
2. Vinhos&Vinhos
3. Vinhos Web
4. Vinhos e Sabores
Degustado em: 06/02/2010
Sugestão Harmonização: no happy hour, como aperitivo, entradas frias e pratos quentes à base de peixes e carnes brancas
Comentário Produtor
Adolfo Lona lançou este produto elaborado pelo método de grandes recipientes no ano de 2008 para completar sua linha e com o intuito de atender os apreciadores de espumantes frescos, jovens e secos.
A diferença é a forte predominância de Chardonnay misturado à uma pequena quantidade de vinho de Pinot Noir, e a tomada de espuma a baixa temperatura que prolonga o processo. O resultado é um espumante de destacados aromas frutais, intensos e persistentes e um sabor marcante de frutas e moderada quantidade de açúcares, situada quase no piso da categoria, com 7 gramas por litro. Logo após a tomada de espuma repousa durante um breve período na própria garrafa em condições especiais. A proposta é oferecer ao mercado um produto fresco, frutado, jovem e alegre, capaz de acompanhar os apreciadores em todos os momentos como happy hour, aperitivos, entradas e pratos quentes à base de peixes e carnes brancas.
O Brut Branco Adolfo Lona deve ser servido a uma temperatura próxima dos 6°C
Serviço: 6 a 8º C
Sugestão de Guarda: beber
Meus comentários:
Adolfo Lona (Argentino de Mendoza) veio para o Brasil em 1972, contratado para o início de operações da vinícola De Lantier, fundada pelo grupo Bacardi-Martini no Brasil. Em 2004, após 33 anos como enólogo e diretor da Bacardi-Martini no Brasil, Adolfo Lona aposentou-se e decidiu produzir vinhos com seu nome, trazendo ao mercado produtos de grande personalidade, frutos da criatividade e da experiência deste enólogo pioneiro da vinicultura brasileira de qualidade.
Coloração amarelo esverdeado, perlage fina persistente, aromas de pão fresco, boa acidez, frutado (frutas tropicais).
Avaliação: Bom $$

Maycas del Limari Syrah


Safra: 2005
País: Chile
Região: Valle del Limari
Produtor: Concha y Toro (Maycas Del Limari)
Site: http://www.maycasdellimari.com/
Uvas/Corte: 100% Syrah
Teor alcoólico: 14,5%
Preço: €11,99, £ 7-9, U$ 19-23; R$ 71 a 89 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Inglaterrra, EUA e Brasil)
Score: 91 pontos Descorchados; 91 pontos WE (2006); 89 pontos WA (2006) (Jay Miller); 88 pontos WS; 87 pontos ST
Onde Comprar:
1. Enoteca Fasano
Degustado: 03/01/2010
Sugestão de Harmonização: cabrito assado, cordeiro na brasa
Serviço: 18º
Comentários
Amazingly deep colour. Beautiful nose of sweet brooding blackberry and raspberry jam with complex spicy notes and lovely purity. On the palate there's a hint of rubbery greenness, which along with the pure blackcurrant fruit which makes it taste a bit Chilean, but there are also warm spicy notes. It's a ripe, fruity wine of broad appeal, and overdelivers for its price point. (Oddbins, Tesco)
Prêmios:
1. Decanter World Wine Challenge 2008: Medalha de Prata
2. International Wine Challenge 2008: Medalha de Ouro
3. 5th Annual Wines of Chile Awards January 2008 Medalha de Prata
Sugestão de Guarda: beber/ 2007 – 2011, decantar
Meus comentários:
O design dos rótulos faz referência ao calendário Inca, marcando o tempo desde a data específica da colheita de cada variedade até a data do engarrafamento. Esse tempo é representado pelas contas de turquesa na forma de junka (semana de 10 dias). Esse Syrah 2005 de 57 junkas (570 dias da data da colheita até o engarrafamento) tem coloração púrpura escura, denso, aromas frutado (frutos negros e especiarias), no palato frutas maduras, aveludado, notas de pimenta, chocolate e madeira, corpo médio, boa acidez, taninos suaves, um vinho elegante.
Avaliação: muito bom

Marques de Casa Concha Merlot 2006


Safra: 2006
País: Chile
Região: Viñedo Peumo, Valle del Rapel
Produtor: Concha y Toro
Site: http://www.conchaytoro.com/
Uvas/Corte: Merlot 100%
Teor alcoólico: 14,5%
Preço: € 12; £ 9,50. U$ 15-22 R$ 66-110 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos Europa-USA-BR)
Score: 91 pontos W&S; 91 pontos Descorchados (05); 90 pontos WA (07); 90 pontos WS; 90 pontos WE; 89 pontos ST;
Onde Comprar:
1. Sam’s Club (Wall-Mart)
2. Costi Bebidas
3. Adega Curitibana
Degustado: 03/01/2010
Sugestão de Harmonização: Carnes, assados, pratos de massas com molhos encorpados
Serviço: 18º
Comentários do Produtor
Dark and deep red. Rich and deftly balanced yet muscular red, layers of complex currant,spice, wild berry and plum. Show off a nice touch of vanilla oak and mocha, adding a nice dimension. Though tannic now, this wine should evolve. There's already some complexity beginning to develop out of its firm, quiet, supple core.
Prêmios:
1. Decanter World Wine Awards 2007 - Silver Medal - 2005 vintage
Sugestão de Guarda: beber, melhor 2010 até 2012
Meus comentários:
Este vinho foi maturado por 18 meses em barricas francesa (36% novas e 64% de segundo uso). Coloração rubi escuro, brilhante, aroma frutado (frutas negras), notas de especiarias, no palato boa concentração de frutas (ameixas), chocolate, tabaco e notas de cravo, tanino fino e ainda presente, corpo médio a encorpado, boa persistência. Excelente custo benefício.
Avaliação: muito bom $$