"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41)

Chateau Poujeaux

Safra: 2005
País: França
Região: Moulis, Haut Medoc, Bordeaux
Produtor: Château Poujeaux
Site: http://www.chateaupoujeaux.com/
Uvas/Corte: 50% Cabernet Sauvignon, 40% Merlot, 5% Cabernet Franc and 5% Petit Verdot
Teor alcoólico: 12,5%
Preço: € 14 a 24, £ 30 a 35; U$ 31 a 74; R$ 200 a 317 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos)
Score:  93 pontos (2003) WE, 90 pontos (2000 e 2001) WS, 90 pontos (2004) WA (RP), 89 pontos WA (Robert Parker), 16 pontos Jancis Robinson, 16 pontos (***)  Decanter, 15,5 pontos (2003) Jancis Robinson, 15 pontos (2004 e 2005) B&D
Onde Comprar:
1. World Wine   
Degustado: 09/03/2012
Sugestão de Harmonização: Carnes vermelhas assadas ou grelhadas acompanhadas de molhos reduzidos à base de vinho tinto, escalopes, caça, pato e queijos maduros.
Serviço:  18 a 20ºC
Comentários
Um Cru Bourgeois Exceptionnel da excelente região de Moulis en Médoc. Vermelho rubi escuro, com reflexos granada. Aroma intenso e cheio de finesse e de tipicidade de Bordeaux, com fruta madura e bem definida, muito musgo, bosque úmido, especiarias. Madeira aparece em segundo plano, bem integrada. Paladar de bom corpo (sem exageros), taninos secos, sérios e finos. Ótima acidez, que lhe dá elegância e longevidade. Estilo clássico com ótima qualidade, para guarda
Prêmios:
1. 1001 vinhos para beber antes de morrer
Sugestão de Guarda:  ± 2020
Meus comentários:
Petit Verdot – também conhecida como Verdot é uma variedade típica da região de Bordeaux, na França, principalmente usada em misturas bordalesas clássicas. Amadurece muito posteriormente que as outras variedades em Bordeaux. Bastante usada em cortes para dar cor, aroma, acidez e taninos. Quando jovem, seus aromas lembram banana e serragem; quando envelhecidos, lembram couro. Tem coloração violeta e paladar médio.  Chateau Poujeaux pertencia à família Theil desde 1921, foi comprado (2008) por Philippe Cuvelier (proprietário Clos Fourtet em St-Emilion), tem sido modelo de um excelente cru bourgeois, e em 2003 foi promovido a cru bourgeois exceptionnel, essa categoria não existe mais, mas o Poujeaux mantém as características que o fazem um vinho excepcional. O Chateau Poujeaux 2005 é considerado por Neil Beckett um dos 1001 Vinhos para beber antes de morrer. As safras 2002, 2003 e 2004 são recomendadas por Stephen Tanzer.  Este Poujeaux me pareceu melhor do que o 2002 já degustado, um vinho de coloração rubi, elegante, aromas discretos de madeira frutas maduras, vegetal e especiarias. Corpo médio, taninos finos, boa acidez e estrutura, um clássico. O que surpreendeu foi o preço, o 2002 foi bem mais barato, até em dólar o preço subiu, será um reflexo da boa pontuação, mais uma vez influenciando o mercado do vinho?
Avaliação: muito bom  
Postar um comentário