"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41)

Amarone della Valpolicella




O Amarone della Valpolicella é produzido na região do Veneto, a partir das castas locais Corvina, Covinone, Rondinella e Molinara. Há cerca de seis anos o consórcio DOCG (denominazione de origine controllata e garantita) da região permite não mais utilizar a antes obrigatória Molinara, que é a plebéia deste memorável vinho. A Corvina é a rainha deste blend.  As uvas destinadas a produção do Amarone, após a colheita, são colocadas em esteiras horizontais que ficam em galpões cobertos, sempre com boa ventilação. As uvas ficam nestas esteiras normalmente até o início de fevereiro e após esta fase de “apassimento natural-ripasso” entram no processo de vinificação. São vinhos potentes, suculentos, frutados, complexos, com um delicado cheiro doce e um toque do amargor da amêndoa, frequentemente com teores alcoólicos superiores a 15%  . Os melhores Amarones do mundo estão disponíveis no Brasil:
Amarone Della Valpolicella Classico Allegrini
Amarone Della Valpolicella Classico Tommasi
Amarone Della Valpolicella Classico Zenato
Amarone Della Valpolicella Classico Tommaso Bussola
Amarone Della Valpolicella Classico Serego Alighieri Vaio Armaron
Amarone Della Valpolicella Classico Bertani
Amarone Della Valpolicella Classico Guerieri-rizzardi Villa Rizzardi
Os vinhos Bussola e Pieropan são importados para o Brasil pela Decanter
Os vinhos Allegrini são importados para o Brasil pela Grand Cru
Os vinhos Zenato são importados para o Brasil pela WorldWine
Os vinhos Quintarelli e Serego Alighieri são importados para o Brasil pela Mistral
Os vinhos Guerieri-Rizzardi são importados para o Brasil pela Vinci Vinhos
Os vinhos Tommasi são importados para o Brasil pela Interfood (Todo Vino)
Os vinhos Bertani são importados para o Brasil pela Casa Flora

Uma boa relação custo benefício, já que esses vinhos não são baratos, para poder se conhecer melhor o Amarone, e tiver oportunidade de comprar, uma dica é o Santi Amarone 2008, conforme indicação de Josh Farrel, ver comentário
“Aqui está um dos grandes Amarone com boa relação custo benefício. Retorna pela demanda popular, Santi Amarone 2008 é proveniente de vinhas de vários terroirs de Valpolicella. Uma mistura de Corvina 65%, Rondinella 30% e Molinara 5%. O processo de passificação aumenta consideravelmente o teor de açúcar natural, que produz um poderoso vinho com inúmeros sabores. O vinho é barricado em barris de carvalho francês e esloveno por até 3 anos. Mostra notas de ameixa secas, tabaco, cravo, canela e geléia de cereja”. Josh Farrel diretor Wine Express   Valor U$ 28 a 54 e 89 pontos (WA); 87 pontos ST (2007). No Brasil não tem importador.




A revista Decanter em 2012 premiou com                               
os seguintes Amarones:
Marion 2007 (19.33pts/20), £60–£65; Giuseppe Mizzon, Classico 2007 (19.17pts/20); Buglioni, Classico 2007 (19pts/20), £35; Cantina Flli Zeni, Vigne Alte, Classico 2007 (19pts/20), £29.50; Gamba, Campedel, Classico 2007 (19pts/20), £35; Giuseppe Lonardi, Classico 2007 (19pts/20), £24–£40; Le Salette, La Marega, Classico 2007 (18.83pts/20), £35; Villa Monteleone, Classico 2007 (18.5pts/20), £38.

Fontes: PPOW - Luiz Gastão Bolonhez
             WineExpress - Josh Farrel
             Decanter Magazzine  

Postar um comentário