"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41)

Orus Pas Dosé

Tipo: Rose
Nível: Espumante
Classe: Brut Nature
País: Brasil
Método: Champenoise
Graduação alcoólica: 12,1%
Preço: R$ 90 a 149 (preço nas importadoras e lojas especializadas de vinhos)
Uvas/Corte: Chardonnay, Pinot e Merlot
Produtor: Adolfo Lona
Região: Garibaldi-RS
Score: N/A
Onde comprar:
1. Sabor Magazzino, Natal, RN;  
Degustado: 09/03/2012
Sugestão Harmonização: salmão, frutos do mar, tender, carne de cordeiro.
Comentário Produtor
“O espumante ORUS Rosé Pas Dosé, elaborado pelo método tradicional ou champenoise e com ausência total de açúcares, o que equivale ao Nature. A produção deste pequeno lote de ORUS é feito em homenagem os clientes que nos privilegiam com sua preferência e possibilitam o crescimento constante de nosso carro-chefe o Brut Rosé Adolfo Lona. O pequeno lote (2008) liberado em 2010 de 621 garrafas anuais, devidamente numeradas, cujo ciclo de produção é de 12 mais 12 meses, ou seja doze meses maturando sobre as leveduras onde ganha a complexidade aromática e gustativa que o tempo possibilita devido a autólises das leveduras e doze meses envelhecendo com a rolha definitiva quando ganha sutileza, elegância e potência. O assemblage é uma mistura de vinhos de 3 variedades, Chardonnay, que participa com seu frescor, Pinot Noir em rosado que agrega força, e uma pequena parcela de Merlot em rosado, que complementa com elegância e ameniza a acidez. A cor é a típica dos rosados feitos pelo método tradicional, rosada laranja clara lembrando casca de cebola, seu aroma é intenso, complexo e convidativo e o gosto é longo, marcante e potente. É um espumante que dignifica o Rio Grande do Sul e nos deixa muito orgulhosos”.
Serviço: 8 a 10 ºC
Sugestão de Guarda: beber/guardar
Meus comentários:
Adolfo Lona (Argentino de Mendoza) veio para o Brasil em 1972, contratado para o início de operações da vinícola De Lantier, fundada pelo grupo Bacardi-Martini no Brasil. Em 2004, após 33 anos como enólogo e diretor da Bacardi-Martini no Brasil, Adolfo Lona aposentou-se e decidiu produzir vinhos com seu nome, trazendo ao mercado  produtos de grande personalidade, frutos da criatividade e da experiência deste enólogo pioneiro da vinicultura brasileira de qualidade.
Neste Orus (garrafa nº 207), coloração rosa laranja (casca cebola), perlage fina persistente, aromas de brioche, notas florais, frutas citricas. Boa acidez, amantegado, frutas secas, tudo em perfeita harmonia, realmente um espumante que não fica devendo nada a muito champagne.
Avaliação: Muito Bom
Postar um comentário