"Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca" (Mateus 26:41)

Hipertensão Arterial ou Hipertensão Arterial Sistêmica

Popularmente conhecida como "Pressão Alta", a hipertensão arterial sistêmica (HAS), é uma das doenças de maior prevalência no mundo, sendo que aumenta progressivamente com a idade em ambos os sexos. No Brasil estima-se que 22 a 43% da população urbana brasileira, seja portadora de hipertensão É um dos mais importantes fatores de risco para doenças cardiovasculares, está relacionada a 40% das mortes por acidente vascular cerebral (AVC - popular "derrame cerebral") e 25% das mortes por infarto ("ataque cardíaco").

Definição - hipertensão arterial ou "pressão alta", chamada de "assassina silenciosa", pois geralmente não causa qualquer tipo de sintoma durante muitos anos até que um órgão vital (coração, cérebro, rins) seja afetado. A pressão arterial é a força que o fluxo sangüíneo exerce nas artérias. Através de sua medição, dois valores são registrados: o maior, quando o coração se contrai bombeando o sangue (pressão sistólica ou máxima), e o inferior, quando o coração relaxa (pressão diastólica ou mínima). Ocorre quando a pressão sistólica (máxima) em repouso é superior a 140 mm Hg ou 14 cm Hg, ou quando a pressão diastólica (mínima) em repouso é superior 90 mm Hg ou 9 cm Hg, ou ambos. Uma medida isolada com valores altos de pressão arterial não significa que a pessoa tenha hipertensão arterial.

Causa - 90% dos casos de hipertensão não têm suas causas claramente definidas, sendo denominado de hipertensão arterial primária, idiopática ou essencial, por aumento da rigidez das paredes arteriais, fato que é favorecido pela herança genética.

Hipertensão secundária
- ocorre quando um determinado fator causal predomina sobre os demais, embora os outros possam estar presentes Apenas 10% dos casos da hipertensão, tem causa definida. As causas mais freqüentes podem ser por problemas renais (parênquima renal, renovascular), arteriosclerose, problema hormonal, uso de certos tipos de medicamentos (por exemplo, corticóides), feocromocitoma (tumor da supra-renal), problemas relacionados à gestação (DHEG – doença hipertensiva específica da gravidez).

Obesidade, vida sedentária, estresse e ingestão excessiva de álcool ou sal na alimentação podem ter um papel importante em pessoas predispostas a ter hipertensão arterial.

Sintomas da hipertensão arterial - grande parte das pessoas com "pressão alta" não apresenta sintomas, esta falta de sintomas pode fazer com que o paciente esqueça-se de tomar o seu medicamento ou até mesmo questione a sua necessidade, o que leva a grande número de complicações. Geralmente podem ocorrer, por coincidência, manifestações que são atribuídas à pressão alta: dor de cabeça, sangramento do nariz, tontura, rosto avermelhado e cansaço. Esses sintomas, entretanto, também aparecem freqüentemente em pessoas com pressão normal. Uma pessoa com hipertensão arterial severa ou pressão muito alta, que passa um longo período sem tratamento, pode ter sintomas como dor de cabeça, fadiga, náusea, vômito, falta de ar, visão borrada, provocados por danos no cérebro, olhos, coração e rins.

Cuidados para medir a pressão arterial


  • repouso de 15 minutos em ambiente calmo e agradável

  • a bexiga deve estar vazia (urinar antes)

  • após exercícios, ingesta de álcool ou café, ou ter fumado,
aguardar 30 minutos para verificar

  • o manguito do aparelho de pressão deve estar firme e bem
ajustado ao braço e ter a largura de 40% da circunferência
do braço,sendo que este deve ser mantido na altura do coração

  • não falar durante o procedimento

  • esperar 1 a 2 minutos entre as medidas

  • manguito especial para crianças e obesos devem ser usados

  • a posição sentada ou deitada é a recomendada na rotina
das medidas



Tratamento – há duas formas de tratamento, com e sem medicamento.

1- Sem medicamentos, também chamado de mudança do estilo de vida.

- controlar/manter peso corporal em níveis adequados;

-abandonar o cigarro;

- reduzir a quantidade de sal na elaboração de alimentos e retirar o saleiro da mesa;

-utilizar restritamente as fontes industrializadas de sal: alimentos industrializados ("ketchup", mostarda, shoyu, caldos concentrados, etc), embutidos (salsicha, mortadela, lingüiça, presunto, salame, paio, etc), conservas (picles, azeitona, aspargo, palmito, etc), enlatados (extrato de tomate, milho, ervilha, etc), bacalhau, charque, carne seca, defumados e salgados de pacote tipo "snaks", aditivos (glutamato monossódico) utilizados em alguns condimentos e sopas de pacote;

- limitar ou abolir o uso de bebidas alcoólicas;

- dar preferência a temperos naturais como limão, ervas, alho, cebola,

salsa e cebolinha, ao invés de similares industrializados;

- substituir doces e derivados do açúcar por carboidratos complexos (arroz, batata, e fibras) e frutas;.

- incluir, pelo menos, cinco porções de frutas/verduras no plano alimentar diário, com ênfase nos vegetais verdes ou amarelos e nas frutas cítricas;

- optar por alimentos com reduzido teor de gordura e, preferencialmente, do tipo mono ou poliinsaturada, presentes nas fontes de origem vegetal, exceto dendê e coco;

- manter ingestão adequada de cálcio pelo uso de produtos lácteos, de preferência, desnatados;

- identificar formas prazerosas de preparo dos alimentos: assados, crus, grelhados etc.;

- estabelecer plano alimentar capaz de atender às exigências de uma alimentação saudável, do controle do peso corporal, das preferências pessoais e do poder aquisitivo do indivíduo/família;

-controlar os níveis de colesterol e triglicérides;

-
exercício físico regular (caminhada, ciclismo, natação e corrida, realizados numa intensidade entre 50% e 70% da freqüência cardíaca de reserva veja fórmula abaixo*), A freqüência de exercício preconizada é de 3 a 5 sessões por semana, cada uma com duração de 15 a 60 minutos, antes de iniciar atividade física, faça uma avaliação com seu médico ou cardiologista.

*Freqüência cardíaca de exercício (FCE)

FCE = (FC máxima - FC basal)x(50 a 70% intensidade) + FC basal

onde FC máxima = 220 - idade em anos e FC basal = freqüência cardíaca em repouso, onde < 50% corresponde a exercício leve e 50 a 70% corresponde a exercício moderado.

2- Medicamentoso: deve ser prescrito e acompanhado pelo seu médico.


Postar um comentário